Anterior Próximo
Opinião Desejo

Brechós em Brasília: achados para todos os gostos e estilos

Por Redação em 06/06/2011
Peça Rara na 307 Sul tem grande variedade. Foto: André Muniz. 

A moda ainda não pegou de vez em Brasília, mas quem conhece um brechó na cidade, não larga mais. Apesar de muita gente fechar a cara para as roupas usadas, os com mais sorte, paciência e disposição para bater perna não se cansam de viver e reviver a experiência recompensadora de achar peças clássicas por preços de banana.
Para os adeptos da ideia, dá para esperar alguém organizar uma troca de roupas do tipo ou frequentar os brechós fixos da cidade. Peças mais clássicas, roupas e acessórios no melhor estilo vintage podem ser encontrados no Usadão Antonio´s, na Asa Sul. O local é o mais antigo da cidade, aberto desde 1982, e chega a oferecer peças por R$ 5.

Os mais ligados a marcas podem ir ao Usado Transado, também na Asa Sul. O brechó tem várias peças de lojas como Cori, Le Lis Blanc, Ortiga e Jukaf. Dando aquela boa vasculhada é possível encontrar casacos de couro, uncle boots e vestidos bem conservados a preços irrisórios.

Também para gente fina tem o Garimpo Brechó. O local só recebe peças de armários finos, mulheres viajadas com alto poder aquisitivo. Resultado: o brechó tem muita marca bacana, de estilistas badalados e grifes internacionais. Um luxo.

Outro brechó lindo é o Peça Rara. O espaço tem dois andares e uma decoração super charmosa. É possível encontrar verdadeiros achados femininos, infantis e para casa. Pequenino e charmoso, o brechó da loja Evelin também vale a visita, com boas peças de marca.

Outros achados são os brechós Lixo Valioso e Luxo Básico. O primeiro é enorme e tem de tudo um pouco. Dá para encher o guarda-roupa e a casa, já que o local também tem pratarias e outras relíquias decorativas. O segundo, além das roupas, destaca-se também pelos sapatos, que com uma boa garimpada podem render uma boa folga no orçamento.

Mas atenção: antes de sair desvairada atrás desses lugares, é preciso ter alguns cuidados para não cair numa furada. A principal dica é experimentar sempre, checando a costura interna e externa para não levar roupa para casa com defeito. E nada de usar as peças sem lavar antes: as aquisições devem ir da sacola do brechó direto para a máquina de lavar (sempre lembrando que as peças podem ser antigas e pedirem uma lavagem especial).

Peças manchadas ou muito desgastadas não são uma boa opção. Dependendo do estado elas podem se desfazer logo nos primeiros usos. E nos acessórios de couro, observe se há sinais de rachaduras ou ressecamento: couro em boas condições pode durar uma eternidade. E, por último, saiba que você também pode ir ao brechó já de sacola cheia, com as roupas que você não usa mais. Muitos brechós trabalham com compra, venda e consignação. Ligar e perguntar se eles aceitam algo em troca pode ser muito valioso e ajuda a reciclar o guarda-roupa.